Xô,mosquito!

Canal Saúde

Saiba que tipo de repelente usar para evitar doenças e preservar a pele

Os mosquitos são os animais mais nocivos na transmissão de doenças em nosso meio. Com eles, todo o cuidado é pouco! O medo de contrair o vírus da dengue, por exemplo, fez crescer a procura por repelentes nas farmácias. Os mais usados em todo mundo são os repelentes químicos tópicos, que agem a partir da formação de uma camada de vapor com odor ofensivo aos insetos.

Entretanto, é importante escolher o tipo de produto adequado para aplicar sobre a pele (aerossol, gel, loção) e no vestuário (aerossol e spray), observa a dermatologista Ana Pellegrini, da Clínica Pelle.

A permetrina (0,5% a 1%) é um repelente e inseticida seguro, que apresenta alta taxa de proteção (maior que 90%) quando aplicado no vestuário, telas e mosquiteiros.

Já a dietiltoluamida (DEET), empregada há mais de 40 anos como repelente, encontra-se na formulação das marcas líderes de mercado. Tem baixa toxidade e eficácia correlacionada com a concentração empregada. Concentrações entre 30% e 50% proporcionam proteção de até 95% contra o Aedes aegypti por cerca de três horas. Quando empregado acima de 50%, a proteção é total. Mas é importante destacar que o risco de toxidade (dermatites) é maior quanto maior for a concentração. Não se recomenda concentração superior a 10% em crianças.

A associação de DEET tópico e permetrina nas roupas permite a mais ampla proteção disponível contra carrapatos e uma grande variedade de mosquitos.