Novos tempos para o Monsenhor Severino

Canal Bem-estar
Fabiano Gomes
Dona Florípedes, em primeiro plano: do Monsenhor Severino, só para o céu
Dona Florípedes, em primeiro plano: do Monsenhor Severino, só para o céu

Um milhão de reais em dívidas, três meses de contas penduradas e dez meses de salários atrasados. Quem toparia assumir uma instituição com estes e muitos outros problemas? Um grupo de voluntários topou. No 27 de abril, tendo à frente Ricardo Luiz da Silva Araújo, eles assumiram a Associação Monsenhor Severino, que mantém em Campos um asilo com 60 idosos. Com o apoio de algumas instituições, ações beneficientes e muita abnegação, eles estão dando a volta por cima.

“Nossa prioridade é restaurar a dignidade dos idosos”, resume Ricardo. A primeira folha salarial dos 25 funcionários foi paga com a ajuda de amigos. O passo seguinte foi melhorar a alimentação. Os internos, que faziam três refeições por dia, agora fazem seis. Com a ajuda de voluntários, passaram a ser oferecidos serviços como salão de beleza, aula de artesanato e acompanhamento psicológico.

Novos ares sopram nos corredores. “Isso aqui vivia uma bagunça”, afirma Maria das Graças Mendes da Silva, a Baiana, uma das moradoras na instituição. Dona Florípedes Ribeiro de Souza, 73 anos, concorda. Feliz com os novos rumos da casa, ela não gosta de recordar o passado. “Pra frente é que se anda”, avisa, com um recado e um sorriso: “Daqui só saio pro céu”.

Você também pode ajudar

Toda ajuda é válida. A Associação Monsenhor Severino aceita qualquer doação em dinheiro, que pode ser feita diretamente na secretaria da entidade. Também são bem-vindas as doações de verduras, legumes, manteiga, carne, peixe e frango.

Toda quinta-feira, às 19h, o asilo promove um baile, já famoso na cidade, com ingressos a R$ 10. Eventualmente, são organizados eventos. O próximo será a Feijoada da Independência, confirmada para o dia 13 de setembro. Uma boa ocasião para ajudar a instituição a se tornar independente do ponto de vista financeiro.