Carro antigo, uma paixão

Canal Atualidade
Fabiano Gomes
Paulo Estêvão com seu Opala Comodoro 1979 e Marcelo Simões com seu Fusca, idêntico ao personagem Herbie
Paulo Estêvão com seu Opala Comodoro 1979 e Marcelo Simões com seu Fusca, idêntico ao personagem Herbie

Eles não medem esforços para ter em casa aquele modelo dos sonhos

Quem é apaixonado por carros antigos não mede esforços para ter na garagem uma raridade que brilhou no passado. Muitos, apesar do tempo, ainda desfilam pelas ruas e estradas, participando de eventos automobilísticos nos finais de semana. São Fuscas, Variantes, Mavericks e Opalas - a maioria dos anos 1960 e 1970 - que ficam guardados a sete chaves. Mas toda sexta-feira, a partir das 19h, muitos deles são expostos em frente à Câmara Municipal de Campos.

O advogado Paulo Estevão e o comerciante Marcelo Simões estão neste grupo. O xodó de Paulo é um Opala Comodoro duas portas ano 1979 com 6 cilindros. “Foi paixão à primeira vista, levei três anos restaurando-o”. A relíquia fica protegida na garagem com um cobertor, saindo apenas para passeios com a família na cidade e exposições.

Marcelo tem um Fusca, descoberto há sete anos na casa de um cliente de seu pai, que é mecânico da linha Volkswagen. Foi um caso de paixão à primeira vista. O carro foi personalizado, ganhando listras e o número 53 - idêntico ao personagem Herbie do filme “Se Meu Fusca Falasse”. De lá para cá, Marcelo já recebeu várias propostas de compra, todas recusadas. “Por onde eu passo ele é atração“, diz o comerciante, que também personalizou boné e roupas com a marca do carro.

O Opala Comodoro, uma das grandes estrelas da década de 1970, era o preferido dos políticos, devido a sua imponência, conforto e desenvoltura nas estradas. Hoje é disputado no mercado. Quem tem não vende por preço algum. O Fusca, se ainda fosse fabricado, estaria completando 81 anos. No Brasil, parou de ser fabricado em 1996.

Colecionar carro antigo é um hobby que demanda recurso financeiro e paixão, garante Paulo. “Tem colecionador que não se importa com o preço quando encontra uma raridade”, ressalta o advogado. Com o avanço do mercado na internet, a compra de peças de reposição e restauração ficou bem mais fácil, tornando mais acessível o hobby de colecionar carros antigos. A modernidade se tornou uma mão na roda, até mesmo para quem tem a cabeça no passado.