Entrevista: Paulo Clébio Nascimento

Canal Atualidade

Em tempos de crise, é preciso criar, fazer diferente, fazer melhor. É sobre isso que falamos na estreia da nossa coluna. Nosso convidado, Paulo Clébio do Nascimento, é diretor da Northrio e professor da Universidade Candido Mendes, Isecensa, Estácio e Faculdade Redentor. Segundo ele, vale a pena investir no próprio negócio, desde que com o devido cuidado de analisar o mercado e se capacitar para evitar surpresas desagradáveis.

Na situação atual, qual a importância de ser empreendedor? Paulo Clébio – Se nós fizermos um desenho ao longo da história, o empreendedor sempre fez o Brasil crescer; mesmo em situação de crise, embora a gente não esteja passando senão por um momento de turbulências econômicas.

Diante das ameaças, como o brasileiro deve encarar o momento atual? Paulo Clébio Se ele tem um conhecimento empreendedor, vale empreender. Se não tem, recomendo que procure algumas instituições, como o Sebrae, para começar a se capacitar o suficiente para entrar no mercado com o pé mais fincado no chão. Porque pode ocorrer, por falta de experiência empresarial e uma atitude empreendedora, de seu negócio declinar e acabar fechando.

O que mais se deve levar em conta antes de empreender? Paulo Clébio - Se quero empreender, também tenho que pensar no tipo de negócio. Se ele tem o olhar voltado apenas para um mercado muito restrito de bairro, e o bairro é pequeno, fica complicado. Tem que imaginar em que tipo de mercado você vai entrar, estudá-lo, buscar informações e conhecer a situação dos concorrentes para saber se é o momento de entrar no mer cado ou não. É bem verdade que nós temos ainda algumas necessidades que não foram saciadas, como os serviços de pequenos reparos em residências. Se o empreendedor tem perfil, pode estar ofertando este tipo de trabalho.

O período é bom para empreender? Paulo Clébio - Estamos passando por esta crise, mas acredito que até meados de 2016 a gente já esteja saindo desta situação. No último mês de maio, por conta do Dia das Mães, já tivemos um mercado mais favorável em todas as áreas. Vale a pena lembrar: não podemos desanimar. O olhar que a gente precisa ter é de arregaçar as mangas, não cruzar os braços e partir para dentro, sempre observando o cenário. Se desanimar é pior. Se sentar e chorar, a gente perde o curso da história.